Bancos e Exchanges uma relação complicada

Bancos e Exchanges uma relação complicada

Não é de hoje que o cenário das exchanges brasileiras com os bancos vai de mal a pior. Essa novela toda já começou lá em 2015 quando o banco Itaú notificou o Mercado Bitcoin de que iria encerrar a sua conta depois de 30 dias, o Mercado Bitcoin até tentou entrar na justiça mas não teve jeito.

E desde então vem acontecendo mais e mais vezes com todas as exchanges que operam no Brasil. Algumas ainda conseguiram evitar por decisão judicial, como o mais recente caso da Foxbit que no mês passado o banco Inter tentou encerrar a conta mas foi impedido por uma decisão liminar.

Está bem claro que os bancos estão tentando de certa forma dificultar o mercado de criptomoedas brasileiro. Bradesco, Caixa, Inter, Itaú, Santander entre outros alegam de sua parte “desinteresse comercial”. A situação ainda fica pior quando bancos internacionais resolvem encerrar conta até mesmo de pessoas por detectarem atividades com o Bitcoin.

Não é exclusividade do Brasil estes problemas com os bancos, acontece também em vários outros países do mundo inteiro. A Coréia do Sul por exemplo chegou a proibir todos os bancos de lidarem com as criptomoedas.

É inegável que as criptomoedas oferecem oportunidades de ganhos muito maiores do que os bancos, porém, os riscos são muito maiores também. Este cenário mostra claramente que não podemos esperar boas notícias tão cedo com relação aos bancos.

 

Gostou desse artigo? Sem enrolação e direto ao ponto, compartilhe com seus amigos!

Formado em finanças, investidor de moedas digitais e conhecedor da tecnologia utilizada nas criptomoedas.

%d bloggers like this: